Desenho arquitetônico: dicas para fazer um bom desenho à mão livre

0
desenho arquitetônico

Desenho arquitetônico: dicas para fazer um bom desenho à mão livre

Um curso de Arquitetura e Urbanismo tem em suas matérias obrigatórias de desenho técnico e projetos para plantas e maquetes, mas também possui espaço para o desenho à mão livre. Algumas necessidades da faculdade e do trabalho em arquitetura tem esse caráter mais artístico, justamente por serem ideias ou representações de algo mais visual e legível para um cliente.

O desenho à mão livre não é exatamente uma obrigatoriedade entre os arquitetos, mas é uma forma de exercitar a visão e melhorar a confiança e segurança nos traços também no desenho técnico. É à mão livre que fica mais fácil expressar ideias para fachadas, detalhes arquitetônicos, texturas de materiais em um projeto, etc.

Confira aqui algumas dicas de desenho à mão livre para utilizar em seus estudos de arquitetura!

Treine sempre

Desenho não é somente um dom! Todos artistas têm seus estudos e períodos de prática para chegar ao seu estilo e desenhos mais aprimorados. Desenho à mão livre também deve ser treinado justamente para adaptação e também para acompanhar uma evolução nos traços, preferências, perspectiva, materiais e afins.

Procure diferentes tipos de exercícios para desenho artístico, geralmente voltados para traçado, sombreado, perspectiva, escala e expressão, e pratique no seu tempo livre. Se achar interessante, use um caderno ou pasta para organizar todos desenhos e revisitá-los de tempos em tempos para conferir sua evolução.

Ao treinar, não existe certo ou errado! Se livrar desse tipo de pressão é ótimo para experimentar outras técnicas e visões.

Procure inspirações

Até mesmo para um desenho técnico precisamos de inspiração. A diferença é que no desenho à mão livre sua inspiração pode vir de todos os lados e servir para diferentes propósitos – afinal, você está livre.

Você pode – e deve – procurar por fontes de inspiração em outros arquitetos, paisagistas e artistas, sejam eles ilustradores, pintores, músicos, escultores, fotógrafos ou até mesmo focados em digital.

Aproveite seus momentos de prática de desenho livre para testar as técnicas de suas inspirações ou desenhar com alguma memória, sentimento ou sensação mais específica.

Use diferentes perspectivas

A perspectiva já deve ser uma velha conhecida sua, afinal ela é necessária para os desenhos técnicos juntamente às escalas. No desenho livre você vai poder experimentar e treinar outros pontos de perspectiva. Esse tipo de exercício é muito interessante para encontrar novos traçados e formas mais confortáveis de fazer seu desenho.

Aqui também é bacana lembrar que o trabalho de um arquiteto ainda contempla a produção e entrega de croquis, layouts e projetos de paisagismo. O desenho à mão livre e novas perspectivas são meios de inovar nesses projetos mais visuais.

O desenho livre comporta qualquer tipo de material. O mais básico você certamente já tem: papel e lápis. Dependendo do quanto você quer experimentar, é possível trazer as lapiseiras, lápis em outras graduações, lápis de cor, tinta aquarela ou guache, giz pastel, nanquim, pincéis e outros tantos materiais para o seu repertório.

Antes de começar um desenho, certifique-se de que os materiais que serão utilizados estão ao alcance. Mesmo os materiais mais familiares ao desenho técnico como o escalímetro, réguas e esquadros têm utilidade no desenho à mão livre.

Essas são dicas iniciais para fazer um bom desenho à mão livre. Se quiser se aprofundar, continue lendo para conhecer o esquadro e suas utilidades.

Junte o material básico

Deixe um comentário